25 de janeiro de 2018 às 02:00

Fasano estreia nova fase e entra no setor de resorts com hotel em Angra

O grupo Fasano dá início a uma nova fase voltada aos resorts em praias brasileiras.

O grupo Fasano dá início a uma nova fase voltada aos resorts em praias brasileiras.

A estreia acaba de acontecer com a inauguração de um hotel na praia do Frade, em Angra dos Reis, em dezembro. O projeto é do escritório do arquiteto carioca Thiago Bernardes, que trabalha pela primeira vez com o grupo.

No próximo verão, provavelmente no início de 2019, o Fasano abre as portas na praia de Itapororoca, em Trancoso, com projeto de Isay Weinfeld. O arquiteto paulistano tem um longo histórico de parcerias com Rogério Fasano, que comanda a rede de hotéis e restaurantes.

"Considerando as dificuldades de infraestrutura e de desenvolvimento do Brasil, preferimos escolher destinos já consolidados", diz Constantino Bittencourt, sócio-diretor do grupo. "No Rio, pensamos inicialmente em duas possibilidades, Angra e Búzios. Optamos por Angra, que, em termos de belezas naturais, não deixa a dever para nenhum lugar do mundo."

Com investimento da gestora carioca Polo Capital (o Fasano se encarrega da operação do negócio), o empreendimento ocupa o terreno onde estava instalado o hotel do Frade, que foi demolido depois de funcionar por quatro décadas a partir de 1972.

O novo hotel reúne 60 quartos, 54 têm vista para o mar. Há ainda três piscinas, um spa, um boulevard, com lojas abertas ao público em geral, entre outros espaços.

"A ideia foi unir sofisticação, uma marca do Fasano, com um clima praiano. Além disso, pensamos nos espaços de circulação como locais prazerosos. Por qualquer lugar que você ande, existe uma vista, como se fosse uma varanda", afirma Bernardes.

O arquiteto também ressalta o uso de mobiliário de importantes designers brasileiros nas áreas comuns e nos quartos. Há criações de Sérgio Rodrigues, Carlos Motta, Hugo França, Juliana Llusá, Pedro Petry, entre outros.

Todo esse aparato tem um preço. As tarifas variam de R$ 1.860 a R$ 5.460.

PEIXES À ITALIANA

Como nos hotéis abertos anteriormente, o grupo Fasano busca manter uma marca forte na gastronomia. Em Angra, o carro-chefe é o Crudo.

A concepção foi do próprio Rogério Fasano, que se baseou no modo como os peixes e os frutos do mar são servidos nos restaurantes do litoral italiano. "No Brasil, a gente sempre associa o que é cru à comida japonesa. A ideia é fugir desse paradigma e oferecer, por exemplo, os carpaccios extremamente frescos", afirma o chef Pedro Franco.

Antes de assumir o comando dos dois restaurantes, o Crudo e o Praia, e dos três bares do hotel, Franco era sous-chef de Luca Gozzani no Fasano de São Paulo.

Entre os pratos do cardápio do Crudo, o chef de 34 anos demonstra especial entusiasmo pelas vieiras ao molho de saquê (R$ 69) e pelo atum com creme de raiz-forte (R$ 115). Franco tem percorrido a região em busca de produtos locais, que compõem a maior parte do cardápio. As vieiras, por exemplo, vêm da Ilha Grande.

CAPITAIS

No processo de expansão do grupo Fasano, os resorts de praia dividem a atenção com os hotéis urbanos. Após São Paulo e Rio, outras duas capitais vão ganhar unidades no segundo semestre de 2018.

Também com projeto de Thiago Bernardes, o hotel de Belo Horizonte está localizado no bairro de Lourdes. O de Salvador fica na praça Castro Alves, onde funcionava o jornal "A Tarde". A arquitetura é de Isay Weinfeld.

O jornalista viajou a convite do grupo Fasano

Fonte: FOLHA

comentários

Estúdio Ao Vivo